Amamentar em Livre Demanda ou de 3 em 3 horas?

bigstock-baby-during-nursing-7611842

O processo da Livre Demanda é o primeiro estágio da autorregulação do bebê da sua fome e de como saciá-la de forma equilibrada.

 

Livre Demanda possibilita a regulação do bebê sobre a sua saciedade e qualidade do leite ingerido na amamentação materna. A recomendação de mamar de 3 em 3 horas hoje precisa ser reavaliada através da observação do bebê.

 

O leite materno é um organismo vivo e se adapta à esta demanda do bebê: o primeiro leite é mais rico em água, portanto, sacia a sede e o segundo leite mais concentrado e gorduroso, saciando a fome. Inclusive se o bebê estiver doente, o corpo da mãe é capaz de produzir anticorpos específicos para combater vírus e bactérias. Um mecanismo perfeito de proteção!

 

Quando a mãe proporciona que o bebê faça esta autorregulação mamando sempre que solicita (sendo através do choro ou não) o bebê tem a possibilidade de ir identificando aos poucos, o que é a fome e qual a quantidade que necessita mamar ao seio para saciá-la.

 

Quando se estabelece horários definidos e intervalos rígidos entre as mamadas, o bebê perde a oportunidade de exercer esta autorregulação. Nos primeiros três meses a procura é maior, pela própria necessidade de crescimento e desenvolvimento. Após este período, o bebê, já eficiente nas mamadas mama em períodos mais curtos, sabendo o quanto mamar até se sentir satisfeito.

 

Cabe à mãe, portanto, após esse período de livre demanda, ajudar e guiar o bebê a compreender a saciedade através das mamadas. Há casos que o seio materno tem o papel de acalentar, tranquilizar e revincular mãe e bebê (por exemplo, após um dia longo fora em razão do trabalho).

 

Se o bebê solicita demais o seio materno, ficando literalmente “pendurado” nele, a mãe precisa avaliar o quanto de tranquilidade e segurança para o bebê, se a necessidade dele é apenas emocional. Quanto mais tranquila e segura for esta relação, mais o bebê irá solicitar o seio em razão das suas reais necessidades. O vício se estabelece na insegurança e na carência.

 

Quando ele tem a possibilidade de mamar nos dois seios, aproveita as etapas do leite de forma integral. O leite materno tem a opção de transmitir para o bebê informações sobre o sabor dos alimentos e quanto mais saudável for a dieta da mãe mais chances este bebê terá de, no futuro, aceitar uma alimentação complementar variada e natural.

 

O bebê que tem horários definidos e é amamentado com mamadeira, acaba perdendo esta sensibilidade de autorregulação. Isto porque ele geralmente não controla o volume de leite oferecido, podendo mamar além do que necessita. Diferente do seio materno, que é 100% absorvido pelo organismo do bebê e que não deixa resíduos na língua, o uso das fórmulas podem comprometer as papilas degustativas, criando uma ‘barreira” superficial que dificulta até a identificação real do sabor dos alimentos.

 

O mecanismo seio materno é perfeito, e, quando o bebê interrompe a sucção, o fluxo de leite é interrompido imediatamente. Isto proporciona ao bebê a regulação da quantidade que ele realmente necessita e favorece a prevenção a obesidade em sua vida futura.

 

Por Simone De Carvalho

Share Button