O Conceito da Mente de Abundância e como ele pode auxiliar na Maternidade

 

Foto: Pinterest

Foto: Pinterest

Você já olhou à sua volta e percebeu o mundo de oportunidades que se encontra bem aí na sua frente? Alguma vez você já se deu conta das muitas coisas que estão ao nosso alcance e não conseguimos acessar somente porque estamos com o foco no lugar errado?

Hoje quero falar com vocês sobre O Conceito da Mente de Abundância e como ela pode auxiliar na Maternidade!

O foco é como a mira de um canhão: é mirar e disparar para acertar o alvo. Nosso cérebro funciona exatamente assim. Nós temos o controle do canhão e podemos direcionar para qualquer lado. Mas será que estamos direcionando nosso foco para coisas que são realmente importantes? Será que não estamos nos perdendo no meio do processo? É importante de tempos em tempos calibrar a mira dessa arma potente, nosso cérebro, para alcançar os resultados que esperamos na vida.

Esses dias estava pensando em 2 conceitos de mundo, que se refere à abundância e à escassez. Para explicar melhor esses conceitos, pense o seguinte:

“imagine que você está no meio de um campo verde, respirando profundamente o ar puro com cheiro de orvalho, enchendo seus pulmões e sentindo-se bem por isso. A quantidade de ar disponível para você respirar é enorme, você não precisa ter medo de acabar. Agora imagine que outra pessoa parou ao seu lado e também começou a respirar profundamente. Ela está aproveitando o mesmo benefício que você, e não corre o risco de “acabar” com o oxigênio, pois o ar é abundante, tem pra todos. Todo mundo se beneficia do oxigênio do ar. Essa é a mente da abundância, onde várias pessoas usam um recurso sem risco de esgotá-lo.

O pensamento de abundância é pleno, amplo, descentralizado, altruísta. Quando você foca sua mente na abundância, você colhe frutos duradouros, você compartilha amizade, informações, gentilezas, que podem se reverter em benefícios futuros para você.

Eu mesma já experimentei muitas vezes essa situação. Vou dar um exemplo: Eu contribuí com uma amiga cuja mãe estava com câncer de mama; fui gentil e perguntava sempre que possível como ia o tratamento, me interessava sinceramente por ela, cedia meu tempo para uma conversa com o objetivo de levantar seu moral. Pouco tempo depois, em uma das ligações que fiz para saber como estava, minha amiga ofereceu seu apartamento em São Paulo para eu ficar se precisasse.

Resultado: Precisei ficar 20 dias em SP para uma cirurgia e essa amiga prontamente me ofereceu as chaves, permitindo que eu economizasse cerca de R$ 5.000,00 em aluguel e outras despesas. Claro que minha ajuda foi sincera, porque eu não sabia que ela possuía esse imóvel; nem sabia que iria me disponibilizar. Mas ao praticar a mentalidade de abundância, eu exercitei esse poder e fui retribuída na mesma proporção.

Ao contrário, a mentalidade de escassez é egoísta, perigosa, há o medo de “faltar” os recursos necessários, então é melhor garantir o meu antes que termine. Esse tipo de pensamento é centralizador, muitas vezes mesquinho e faz com que a pessoa que o pratique fique sempre centrada em suas próprias necessidades e interesses; dificulta a troca, a partilha.

Todos nós temos momentos de escassez e momentos de abundância.

A questão é: Onde sua mente circula a maior parte das vezes? Compartilhando e gerando valor para o mundo? Ou segurando as informações para seu próprio benefício?

Deixo essa questão para reflexão.

E levando essa discussão para a família, como tem sido sua relação com seus filhos? Tem agido com eles com o foco na abundância, orientando para que evidenciem seus dons e virtudes? Ou sua mentalidade está na escassez e no medo, o que pode atrapalhar o seu desenvolvimento? Mantendo-os “presos”, limitados ao seu raio de ação?
Pense sobre isso.

Ao praticar a mentalidade de abundância, você está contribuindo com o mundo e gerando valor para a vida. E tenha certeza, que o mundo saberá recompensá-lo por isso!

Por Margareth Sá

 

Share Button