Precisamos falar sobre a depressão pós parto

Imagem: Pinterest

Imagem: Pinterest

Precisamos falar sobre isso… depressão pós parto.

Segundos dados da FIOCRUZ no Brasil, de cada 4 mulheres , 1 ou mais mulheres vão apresentar depressão pós parto. E esse é um numero muito grande de mulheres.
E por que devemos falar e falar sobre isso? A maioria das mulheres não fala sobre o assunto, não assumem sua tristeza e o que sentem. Acham que deveriam estar alegres e felizes por conta do filho tão esperado, e o sentimento muitas vezes não é esse: é de angústia, de desespero, choro constante, vontade de não viver, vontade de não ter mais filho, e, de repente, você se pega fechada no banheiro escondida a noite, chorando  confusa e com desejo de morrer.
E essas mulheres, principalmente as que estão recebendo muitas visitas, que escutam mil e um conselhos de alegria e felicitações e de como deveriam estarem feliz por ter um bebê tão lindo e saudável, começam a esconder o que sentem, escondem o seu choro. E o esconde de todos, do médico, do companheiro/a e todos que a rodeiam para que estes não percebam sua “fraqueza”.
Mas, os sintomas não são apenas esses. Passam por muitos outros, como desânimo, fraqueza e  quase uma incapacidade em executar funções naturais do dia a dia, como por exemplo, escovar os dentes, pensamentos obsessivos ( meu filho pode ficar doente e pode morrer, eu posso ficar doente e posso morrer) e muito sono sem conseguir dormir nada à noite.
Listei algumas perguntas podem te ajudar a verificar como anda seu ânimo se você teve bebê há pouco tempo:

  • Eu tenho sido capaz de rir e achar graça das coisas?
  • Eu sinto prazer quando penso no que está por acontecer em meu dia a dia?
  • Eu tenho me culpado sem necessidade quando as coisas saem erradas?
  • Eu tenho me sentido ansiosa ou preocupada sem uma boa razão?
  • Eu tenho me sentido assustada ou em pânico sem um bom motivo?

Essas e outras perguntas fazem parte do Questionário para auto-avaliação de Depressão Pós-Parto, O Edinburgh Postnatal Depression Scale (EPDS) que foi desenvolvido na Grã-Bretanha para pesquisa da depressão pós-parto, traduzido e validado em diversos países, inclusive no Brasil (se tiverem interesse no final do texto o questionário estará disponível para vocês).
O mais importante de tudo é: se você perceber que não está bem, se responder ao questionário e ficar preocupada, procure um médico, um profissional da saúde e FALE; fale sobre o problema, não o esconda, e não sinta vergonha.
Atualmente os profissionais que tem feito pesquisas sobre depressão pós parto, estão alarmados com os pensamentos suicídas nas mulheres que acabaram de ter bebês. Então, setembro é uma época pertinente para tratar sobre o assunto por que marca as comemorações do Setembro Amarelo, que é o mês de combate ao suicídio.

 

O dia 10 de setembro é o dia mundial de prevenção ao suicídio. E a ajuda, também nesses casos, é o que pode significar a  preservação da vida em muitas situações.

 

Esse também é um problema social, de toda sociedade. Por que? Por que a maioria das mulheres não percebem que estão doentes, elas acham , na maioria das vezes , que estão fracas e que são incapazes e não que estão doentes.
Quando as pessoas perceberem que uma mãe passa por uma tristeza profunda, logo após ter filho, procure ouvir, ouvir verdadeiramente, orientem essa mãe a procurar ajuda, mas a façam FALAR, sem medo de serem discriminadas ou julgadas.
Apoio e tratamento é fundamental para conseguirem passar pela depressão pós parto.

Por Verônica Borges

 

 


QUESTIONÁRIO PARA AUTO-AVALIAÇÃO DE DEPRESSÃO PÓS-PARTO

O Edinburgh Postnatal Depression Scale (EPDS) é questionário de auto-avaliação desenvolvido na Grã-Bretanha para pesquisa da depressão pós-parto, traduzido e validado em diversos países, inclusive no Brasil. Esta ferramenta mostrou elevada sensibilidade para a identificação da depressão pós-parto, na maioria das investigações.

O questionário de auto-avaliação contém dez perguntas com quatro opções que são pontuadas de 0 a 3, de acordo com a presença ou intensidade dos sintomas: humor deprimido ou disfórico, distúrbio do sono, perda do prazer, diminuição do desempenho, culpa e idéias de morte e suicídio.
As entrevistadas são consideradas como do grupo de risco para desenvolver depressão, se a pontuação alcançada na EPDS forem iguais ou maiores que 10.
Nesse caso, você deverá procurar um médico.

QUESTIONÁRIO

Você teve um bebê há pouco tempo e gostaríamos de saber como você está se sentindo nos últimos sete dias e não apenas hoje:
1. Eu tenho sido capaz de rir e achar graça das coisas
[ ] Como eu sempre fiz
[ ] Não tanto quanto antes
[ ] Sem dúvida, menos que antes
[ ] De jeito nenhum
2. Eu sinto prazer quando penso no que está por acontecer em meu dia-a-dia
[ ] Como sempre senti
[ ] Talvez, menos que antes
[ ] Com certeza menos
[ ] De jeito nenhum
3. Eu tenho me culpado sem necessidade quando as coisas saem erradas
[ ] Sim, na maioria das vezes
[ ] Sim, algumas vezes
[ ] Não muitas vezes
[ ] Não, nenhuma vez
4. Eu tenho me sentido ansiosa ou preocupada sem uma boa razão
[ ] Não, de maneira alguma
[ ] Pouquíssimas vezes
[ ] Sim, algumas vezes
[ ] Sim, muitas vezes
5. Eu tenho me sentido assustada ou em pânico sem um bom motivo
[ ] Sim, muitas vezes
[ ] Sim, algumas vezes
[ ] Não muitas vezes
[ ] Não, nenhuma vez
6. Eu tenho me sentido esmagada pelas tarefas e acontecimentos do meu dia-a-dia
[ ] Sim. Na maioria das vezes eu não consigo lidar bem com eles
[ ] Sim. Algumas vezes não consigo lidar bem como antes
[ ] Não. Na maioria das vezes consigo lidar bem com eles
[ ] Não. Eu consigo lidar com eles tão bem quanto antes
7. Eu tenho me sentido tão infeliz que eu tenho tido dificuldade de dormir
[ ] Sim, na maioria das vezes
[ ] Sim, algumas vezes
[ ] Não muitas vezes
[ ] Não, nenhuma vez
8. Eu tenho me sentido triste ou arrasada
[ ] Sim, na maioria das vezes
[ ] Sim, muitas vezes
[ ] Não muitas vezes
[ ] Não, de jeito nenhum
9. Eu tenho me sentido tão infeliz que eu tenho chorado
[ ] Sim, quase todo o tempo
[ ] Sim, muitas vezes
[ ] De vez em quando
[ ] Não, nenhuma vez
10. A ideia de fazer mal a mim mesma passou por minha cabeça
[ ] Sim, muitas vezes, ultimamente
[ ] Algumas vezes nos últimos dias
[ ] Pouquíssimas vezes, ultimamente
[ ] Nenhuma vez
Como fazer a pontuação:
Questões 1, 2, e 4
Se você marcou a primeira resposta, não conte pontos.
Se você marcou a segunda resposta, marque um ponto.
Se você marrcou a terceira resposta, marque dois pontos.
Se você marcou a quarta resposta, marque três pontos.
Questões 3, 5, 6, 7, 8, 9 e 10
Se você marcou a primeira resposta, marq ue três pontos.
Se você marcou a segunda resposta, marque dois pontos.
Se você marcou a terceira resposta, marque um ponto.
Se você marcou a quarta resposta, não conte pontos.

Share Button