Se a pega está correta, por que ainda dói?

se a pega está correta, porque ainda sinto dor?

Foto: Barbara Pata

Nem sempre (ou quase nunca) a imagem que vemos no comercial de TV representa as mães no seu processo inicial de amamentação. Uma mulher linda, maquiada, sorrindo e amamentando seu recém-nascido com a maior facilidade do mundo. Não, não é assim que a grande maioria das mães fica nos primeiros dias da amamentação. Pelo contrário, o que acontece com muita frequência é uma mãe descabelada, cheia de incertezas, e com dor. Às vezes, com muita dor! E nessas horas você pode pensar: se a pega está correta, porque ainda dói?

Já cansamos de ouvir que a amamentação é um processo natural. E é, nosso corpo foi feito para nutrir nossos filhos. Ele, por si só, sem nenhuma interferência externa, é capaz de se preparar e de produzir o leite suficiente para a chegada do bebê. Este, por sua vez, também já nasce apto a esse processo, com o reflexo de sucção inato, justamente para se alimentar de sua mãe.

Mas então, se a amamentação é um processo natural, porque as mulheres ainda sentem tanta dor?

Antes de tudo, é importante salientar que existem algumas causas físicas que podem ocasionar a dor. Entre elas estão: a pega errada, a descida do leite, o ingurgitamento das mamas e a mastite. E por isso, se você estiver sentindo muita dor, é importante que você passe por uma avaliação profissional para descartar todas essas possibilidades. Entretanto, dia após dia, vemos mães relatando que mesmo com tudo certo, elas continuam a sentir dor. Pela lógica, se a pega está correta, não teria porque doer.

Mas dói porque as mamas refletem a dor que você está passando por dentro. No seu ser mãe. Na maternidade, parece que todos os nossos “monstros” escapam da jaula. Sem pedir permissão, aparecem todos os nossos problemas, limitações e dores da nossa história. Aquilo que passamos a vida inteira escondendo; os nossos traumas, tristezas, dificuldades em ser mulher, em amar e se doar pelo outro. Tudo o que sofremos como filha, como jovem, como mulher e que guardamos a 7 chaves, vem à tona, de uma só vez… E não sabemos como lidar com isso.

De muitas coisas queremos fugir, enterrar de novo, pois parece horrível! Mas eu aprendi uma coisa com a minha maternidade: esta é uma oportunidade LINDA de nos transformarmos, de nos curarmos, de reescrevermos a nossa história. É um desafio, mas se o aceitarmos, com certeza seremos pessoas melhores. Encarar a amamentação, com suas dores e cansaços, é isso: botar para fora quem somos, aceitar nossos fantasmas, encarar, refletir e buscar vencer. Só assim, a dor vai sumir!

Somente enfrentando é que vamos ter a chance de descobrir que podemos sim nos curar, crescer e virar uma mãe muito mais completa para nossos filhos. Comece a olhar para a sua dor. O que ela está te falando? Quais os pensamentos que passam dentro de você enquanto está amamentando? Ou que fazem você querer desistir? Aceite esses pensamentos, reflita sobre eles. Porque será que tenho pensado isto? O que está causando este pensamento? Como poderia ser diferente? Como eu gostaria que esse momento fosse?

Converse com o seu bebê e fale para ele o que está sentindo, e que deseja ser melhor. Procure fazer da amamentação um momento de entrega, de descobertas. Vá para um lugar tranquilo, só você e seu bebê. Faça coisas para se tranquilizar durante o ato de amamentar. Cante para o seu bebê, conte histórias… Esqueça o relógio! Esqueça o tempo! Só olhe para seu filho. Você é capaz de suprir todas as necessidades dele.

Acredite. Confie no seu poder. Você já é mãe!

E antes que você perceba, a dor já vai ter passado.

Por Liana Schiebel

Share Button
  • Raquel Porto Rodrigues

    Texto mais puro, verdadeiro e lindo que já li sobre amamentação e olha que já li muuuitos!! Gratidão!

    • http://www.seasmaessoubessem.com.br sitesms

      Muito obrigada pelo seu doce comentário Raquel!

  • Raquel ribeiro

    Que lindo, tenho dois filhos um de 3 anos e outra de 6 meses e sempre tive o desejo de amamentar até quando eles quisessem. Com meu primeiro filho não tive instrução adequada e ele não Mamou corretamente isso fez c q perdesse peso ao invés de ganhar e logo c um mês foi p o complemento, chorei muito pois queria amamentar. Agora com a minha filha de seis meses estou me realizando tuve mais informações ela mama super bem mas já tive momentos como relatado no texto do peito doer muito de pensar TB logo no começo q n tinha leite suficiente e de n ter tido muito apoio, as pessoas falavam VC n tem leite vai ter q dar complemento. Isso acabava comigo. Mas agora fico pensando como vai ser quando minha filha nn quiser mais.

  • Ticiany Freischlad

    Faltou apenas citar que um problema de freio lingual ou labial curtos também são causas de problemas e muita dor na amamentação.
    Mas é um ótimo texto mesmo assim!